Home / Aconteceu / Farra dos Brinquedos – Teatro Rival

Farra dos Brinquedos – Teatro Rival

image001 (11)

Grupo Farra dos Brinquedos desperta no público infantil o encanto pela música entre pais e filhos. Os músicos investem na variedade de ritmos, na qualidade dos arranjos e interpretação, no caráter educativo e na dimensão cênica da música. Criado por cantores e instrumentistas consagrados do cenário carioca, o Farra dos Brinquedos realça, em novo espetáculo e CD, o lado encantador, poético e brincante da música popular brasileira. É um convite às crianças (e também aos adultos) conhecerem de perto essa riqueza e diversidade.
O grupo faz um passeio lúdico por canções que retratam o dia-a-dia da relação entre pais e filhos, seus dramas, dificuldades e alegrias; e são inspiradas pela convivência dos jovens artistas com os pequenos. Estão presentes gêneros como samba, choro, tango, polca, salsa, marcha, baião, xote, maxixe, guarânia… e ainda jazz e rock n’ roll. O colorido dos instrumentos e a variedade dos intérpretes visam, por sua vez, estimular a interação da garotada.
Os músicos são educadores e pais que embarcaram na imaginação dos meninos e meninas, ao mesmo tempo em que sentem necessidade de levar para eles as suas referências. Nesse sentido, o trabalho visa contribuir para a educação musical, ampliando a percepção do público infantil a partir de elementos da nossa cultura, dentro de um repertório inédito.
A partir da direção de Duda Maia, a apresentação do grupo ganhou uma dimensão mais cênica, permitindo um diálogo aberto com o teatro e a dança. Dentro das feições de um musical, o espetáculo explicita o olhar lúdico, no qual a situação “real”, vivida no cotidiano, tende a penetrar o universo da brincadeira. O enredo leva as crianças a soltarem a imaginação e se divertirem com alguns dos personagens, como o Bebê número um, que de vez em quando solta um “pum”; a Maria Gabriela, que “tem sebo na canela”; o menino Antônio, que “ama jogar bola, mas foge de cafuné”; e as irmãs gêmeas Amália e Olívia, que “sem querer são parecidas”. Há espaço pra crer que a sanfona se transforma numa caixa de fotografias, de onde saem sons e timbres que representam as modernas relações familiares de irmãos, primos, tios, avós e agregados, narradas de forma bem-humorada em “Parentesco” (“nossa família é muito amiga / se ama muito, mas às vezes também briga”).
Algumas canções possuem caráter pedagógico, sem perder a leveza, como é o caso de “Tira o dedo”, que relata a agonia dos pais em ensinar os pequenos a não colocar o dedo na tomada, no pudim ou no nariz. Outras despertam a ludicidade, ao falar da formiguinha, que “corre apressadinha / sai de manhã cedo / e só volta de noitinha”, e do elefante, cuja tromba é imitada por um sax tenor. Os trechos inspirados no blog frases de crianças, os figurinos de Maria Hermeto, a programação visual de Emílio Rangel e a iluminação de Renato Machado corroboram para a atmosfera poética, fazendo o espectador navegar por diversos ambientes, de acordo com o clima de cada canção.

Classificação – Livre

Pedro Miranda – Voz e Percussão
Elisa Addor – Voz
Marcelo Caldi – Acordeom e Voz
Daniela Spielmann – Saxofones e Flauta
Nando Duarte – Violão de 7 cordas e Contrabaixo Acústico
Carlos Cesar Motta – Bateria e Percussão
Bebel Nicioli – Flauta e Clarinete
Teatro Rival Petrobras
Rua Álvaro Alvim 33/37 – Cinelândia

Sábado, 4 de novembro, às 16 h
R$45,00

Veja Também

2_Circuitinho_Foto_Guito_Moreto

Circuitinho – Casa Rosa da Gávea *11 e 12 de novembro*

O Circuitinho vai oferecer palestras e workshops durante a sua programação. Sucesso no no canal de TV …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *